O poder da autoimagem e da autoestima na sua vida e nos seus resultados

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Podemos perceber, até mesmo por experiência própria, o quanto os nossos pensamentos e crenças interferem nos nossos sentimentos (e humor), por consequência, nos nossos comportamentos e nos nossos resultados (Cursos Online Comportamental).  Já dizia o Paulo Vieira, Ph.D, Master Coach e Presidente da Febracis:

“As crenças que você tem sobre si mesmo vão determinar desde o seu valor próprio até a sua autoimagem e todos os seus resultados e comportamentos” (Desenvolva Crenças +).

Ainda, tamanho a importância da relação entre pensar, sentir e agir que tal concepção é a essência da Teoria Cognitiva Comportamental (TCC).

O que diz a especialista

A renomada psicóloga social Carol S. Dweck (Ph.D), especialista em comportamento a mais de 20 anos, enfatiza por meio de suas pesquisas que:

“A opinião que você adota a respeito de si mesmo afetará profundamente a maneira pela qual você leva sua vida. Ela pode decidir se você se tornará a pessoa que deseja ser e se realizará aquilo que é importante para você”.

Assim sendo, gostaria que você refletisse nas questões abaixo. Veja:

  • “Você vigia a qualidade dos seus pensamentos?
  • “O que você diz para si mesmo sobre o que é capaz de fazer?”
  • “Com que frequência é dura e crítica com você mesmo?”

A autoimagem, a autoestima e o autoconceito, bem como as crenças que possuímos sobre nós mesmos, impactam profundamente os nossos comportamentos.  Por consequência, os resultados que obtemos no campo pessoal, profissional e relacionamentos são frutos desse conjunto de fatores.

Que resultados vem colhendo? Seu foco está no problema ou na solução? (Saiba como ter + Foco).

Autoconceito, autoimagem e autoestima

Desde a nossa mais tenra infância até os dias atuais, de forma análoga a um ‘sistema operacional de computador’, vamos recebendo instruções, seja de forma consciente e inconsciente, acerca de como o mundo funciona, como nos relacionarmos com as pessoas ao redor, também, de quem somos e do que somos capazes. As instruções são como lentes dos quais vemos a vida e de como nos comportamos; reagimos (Cursos Online Comportamental). 

Ao longo do nosso desenvolvimento, fomos incorporando mentalmente uma série de conceitos, ideias, pressupostos, medos, dúvidas, opiniões, atitudes, valores e expectativas dos quais registramos integralmente no nosso subconsciente como verdades atemporais, inquestionáveis (Algumas Técnicas) !

Fomos criando nossas verdades sobre quem somos, do que somos capazes, do que acreditamos merecer e quais os critérios para gostarmos efetivamente de nós mesmos. Contudo, em alguns momentos, face a determinados resultados na vida, precisamos de revê-los .

Autoconceito e seus 3 aspectos

Para os especialistas em comportamento Villela da Matta, Flora Victoria e Brian Tracy, autoconceito (Cursos Online Comportamental) é dividido em 3 aspectos:

  • Eu ideal: são seus objetivos e quem você gostaria de ser. Determina, na sua maior parte, o rumo e a direção que vai tomar na sua vida. Implica, como sugere a expressão, à pessoa que você mais quer ser no futuro.
  • Autoimagem: é como um ‘espelho interno’, refletindo o que você pensa, sente e vê sobre si mesmo. O que você pensa, sente e vê sobre si mesmo gera comportamentos coerentes, congruentes, fazendo com que você se comporte da forma idealizada determinando seu desempenho no presente.
  • Autoestima: pode ser definida como o quanto você gosta, aceita e respeita a si mesmo como uma pessoa de valor, de virtudes e digna. É ela que determina o seu grau de motivação, entusiasmo e energia direcionada à determinada ação. A autoestima reflete a qualidade da interpretação (e da percepção) que você faz da relação entre sua autoimagem e seu eu ideal.

Relacionando com as crenças: filtros de percepção

A importância das crenças nos nossos comportamentos e resultados, conforme citamos logo nos primeiros parágrafos, é mencionado no Coaching (Especialização), na Teoria Cognitiva Comportamental (TCC), na Programação Neurolinguística (PNL) e em outras relevantes técnicas de mudança comportamental (Técnicas).

Para Paulo Viera (Ebook), a autoestima envolve uma combinação de três (3) crenças que vão impactar o quanto à pessoa se valoriza, sua autoimagem, seu eu ideal, o quanto acredita que pode aprender a fazer (ou aprender a fazer algo). Ainda, o quanto acredita que merece ser recompensado, elogiado e até mesmo punido. Essas 3 crenças são:

  • Crença de identidade: refere-se ao que você acredita ‘ser’ (o que eu sou):
  • Crença de capacidade: refere-se ao que você acredita que pode fazer ou que é capaz de aprender;
  • Crença de merecimento: refere-se ao merecer (benefícios ou punições).

Os primeiros passos para se fortalecer mentalmente

Para melhorar a autoimagem, a autoestima e as crenças de si negativas, o psicólogo Hendrie Weisinger (1997) e o master coach Paulo Vieira (O Poder do Foco) sugerem algumas práticas. São elas:

  • Cultive pensamentos positivos (crenças e valores);
  • Não tenha medo de errar e não tenha medo do “não”;
  • Defina sua missão e propósito de vida;
  • Alimente constantemente o cérebro com informações positivas e inspiradoras;
  • Use afirmações motivadoras;
  • Pratique a “gratidão” diariamente;
  • Construa relacionamentos com pessoas positivas e maduras emocionalmente;
  • Construa diálogos internos (com você mesmo) positivos;
  • Desenvolva hábitos positivos por meio de treinamentos;
  • Use ‘imagens e filmes mentais’ positivos;
  • Proponha-se metas importantes;
  • Divida as atividades em pequenas tarefas e comemore cada vitória;
  • Saia da situação de vítima e aja;
  • Peça ajuda se for preciso, inclusive para um profissional da área comportamental.

Finalizando, mais uma provocação: “qual a imagem você tem de você mesmo? Esses pensamentos têm lhe ajudado ou lhe impedido de buscar seus objetivos e sonhos? Arrisca em responder?

GOSTOU? COMPARTILHE!

Leia também…

Quais destes 9 sabotadores [mais] te atrapalha?

Princípios da Mudança Comportamental

Fechar Menu